Mulheres na alta gastronomia

Inicialmente, na comunidade primitiva, a mulher ocupava uma posição de igualdade e mesmo de superioridade em relação ao homem. A importância da mulher deveu-se também à sua condição de criadora, fixadora e transmissora de hábitos culturais, da experiência coletiva acumulada pelo grupo. A passagem à agricultura foi obra das mulheres, assim como a domesticação dos animais (origem da pecuária), a fabricação da cerâmica, a fiação e a tecelagem (linho e algodão), a medicina caseira etc. Além disso, transmitiram esses conhecimentos às novas gerações, fixando e difundindo hábitos culturais. Mas isso foi há muito tempo, não é mesmo?!

Mas comecei a reparar que se falando da alta gastronomia mundial e cozinhas profissionais, a coisa já é bem diferente. Quantas mulheres são as chefs dos melhores restaurantes do mundo? Quando falamos de programas de TV, sem dúvida as mulheres lideram, Julia Child  foi uma das pioneiras e até inspirou filme.

Julia Child

Para responder essa pergunta parti para a lista dos 50 melhores restaurantes do mundo e fiquei ASSUSTADA. Desde 2002 a revista Restaurant faz esse ranking. Atualmente, eles tem uma lista mundial e duas regionais, além de outros prêmios, um deles é de melhor chef mulher. Então, senta que lá vem textão, pois resolvi pesquisar e contar um pouquinho sobre cada uma dessas minas que metem bronca na cozinha mundial! ❤️

Conta daí quantas mulheres no palco? Foto: Paladar

LISTA DOS 50 MELHORES RESTAURANTES DO MUNDO

A seleção da revista britânica Restaurant em 2017 tem apenas duas mulheres na sua listagem dos 50 melhores. O primeiro restaurante que tem uma mulher como chef está na trigésima posição do ranking, o espanhol Arzak. Elena Arzak é sucessora de seu pai, Juan Mari Arzak, chefe de cozinha basco. Ele é considerado o pai do movimento de renovação da cozinha espanhola, mas a delícia é saber que ele aprendeu mesmo a cozinhar com a sua mãe, no restaurante da família aberto pelos seus avós. Elena é da quarta geração e foi criada vendo essa revolução acontecer bem de pertinho. O legado dos Arzak continua e ela sustenta as 3 estrelas Michelin da casa.

Elena Arzak em ação. Foto: Divulgação

Depois, no quadragésimo lugar está o Cosme, comandado pela mexicana Daniela Soto-Innes, o primeiro restaurante fora do México do reconhecido Enrique Olvera, a casa fica em Nova Iorque. Daniela mete tanta bronca que em 2016 foi escolhida como rising star da concorrida James Beard Foundation, afinal ela tem apenas 26 anos. A mexicana foi para os EUA aos 12 anos e começou na cozinha bem cedo, aos 15 anos já era estagiária na cozinha do hotel Marriott, se formou no Le Cordon Bleu College of Culinary Arts em Austin. Mas foi na sua volta pro México que encontrou seu mentor, que a convidou para comandar sua casa em NY.

Daniela Soto-Innes dando língua pra geral! Foto: Divulgação

Os demais da lista são todos liderados por boys. 48x2. É mole?! Bora, continuar?!

LISTA DOS 50 MELHORES RESTAURANTES DA ASIA

A lista Asiática (lista de 2017) acompanha a mundial com apenas duas mulheres como chefs, a mais bem colocada divide a cozinha e está no décimo nono na lista. O Bo.Lan é um restaurante Tailandês autêntico e moderno em Bangkok, a cozinheira